PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

Guedes pede desculpas por declaração sobre funcionários públicos

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

“Eu me expressei muito mal, e peço desculpas”, disse Guedes em mensagem no WhatsApp.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, pediu desculpas, nesta segunda-feira (10), por ter comparado o comportamento de funcionários públicos com o de parasitas.

Segundo o jornal Estadão, Guedes enviou uma série de mensagens por WhastApp a jornalistas, amigos e familiares.

O ministro disse que não quis ofender ninguém e que a frase foi tirada de contexto:

“Tiram do contexto. Falei de Estados e municípios em caso extremos. Quando toda a receita vai para salários e nada para saúde educação, e segurança.

Se o Estado existe para si próprio então é como um parasita (o Estado perdulário) maior que o hospedeiro (a sociedade). Eu não falava de pessoas, falava dos casos extremos em que municípios e Estados gastam todas as receitas com salários elevados de modo que nada sobrava para educação, segurança, saúde e saneamento.”

Guedes completou:

“Eu me expressei muito mal, e peço desculpas não só a meus queridos familiares e amigos, mas a todos os exemplares funcionários públicos a quem descuidadamente eu possa ter ofendido. EU NÃO FALAVA DE PESSOAS E SIM DO RISCO DE TERMOS UM ESTADO PARASITÁRIO, APARELHADO POLITICAMENTE FINANCEIRAMENTE INVIÁVEL.

O ERRO É SISTÊMICO e não é culpa das pessoas que cumprem os seus deveres profissionais como é o caso da enorme maioria dos servidores públicos.”

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

Encontrou um erro?

Para comunicar um erro de português, de informação ou técnico, preencha o formulário abaixo.