Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch
Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch

Heleno reforça que Bolsonaro queria troca na PF por ‘segurança pessoal’

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
'Mais uma matéria sem fundamento da Época', diz Heleno
Imagem: Adriano Machado/Reuters

Bolsonaro disse que precisava de um delegado “mais ativo” na chefia da PF, segundo general Heleno.

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, afirmou que o presidente da República, Jair Bolsonaro, lhe teria dito, “em uma ou outra oportunidade”, e na presença do ex-ministro Sérgio Moro, que precisava de alguém “mais ativo” no comando da Polícia Federal (PF). 

O general também disse achar “natural” a escolha de uma “pessoa próxima” para ocupar a chefia da corporação.

As declarações foram feitas nesta terça-feira (12) em depoimento à PF.

“Mais ativo no sentido de maior produtividade, o que não envolveria maior produção de relatórios de inteligência ainda que isso possa estar incluído no conceito de produtividade”, esclareceu Heleno.

Assim como o ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto, Heleno disse que Bolsonaro pediu substituições na PF por causa de sua “segurança pessoal” e não para interferir na corporação, como afirmou Moro ao deixar o governo.

“O presidente, no vídeo da reunião do dia 22 de abril de 2020, menciona o exemplo menciona o exemplo de sua segurança pessoal, que se estivesse falha, tentaria trocá-la; e que se não conseguisse, trocaria o chefe, podendo chegar ao diretor e até o ministro”, explicou o general no depoimento.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email