Português   English   Español

Histórico do TSE indica que ação do PT contra Bolsonaro pode demorar

Histórico do TSE indica que ação do PT contra Bolsonaro pode demorar

O presidenciável pode começar o governo em 2019 respondendo a um processo na Justiça Eleitoral por abuso de poder econômico, que em última instância pode levar à cassação da chapa.

Favorito na disputa presidencial, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) pode começar o mandato no ano que vem com pendências na Justiça Eleitoral.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) abriu uma investigação na semana passada para apurar uma suspeita de compra de disparos em massa de mensagens anti-PT pelo WhatsApp. O caso foi noticiado pelo jornal Folha de S. Paulo.

Ao abrir a investigação, o corregedor do TSE, Jorge Mussi, atendeu a um pedido do PT. Além disso, o PDT, do ex-candidato Ciro Gomes, também apresentou uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) sobre o caso e pediu a anulação do primeiro turno das eleições.

As duas ações tendem a tramitar de forma unificada, assim como ocorreu com as investigações sobre a chapa Dilma-Temer, em 2014.

A exemplo do julgamento da chapa Dilma-Temer, que acabou absolvida somente em 2017, a chapa Bolsonaro-Mourão também pode enfrentar um longo processo na Corte Eleitoral.

Em casos extremos, se ficar comprovado que Bolsonaro praticou abuso de poder econômico, a ação no TSE pode levar à cassação da chapa e à realização de novas eleições, dependendo de quando o caso será julgado.

 

Adaptado da fonte Gazeta do Povo

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe seu comentário

Veja também...