Português   English   Español

Hospital da China exige pagamento para mãe ver as filhas

Na maioria dos países desenvolvidos, pacientes de urgência têm prioridade, podendo ou não pagar pelo atendimento. Esse não é necessariamente o caso no regime comunista da China.

Um dia depois de Juliana Brandy Logbo ter dado à luz gêmeas, recentemente, em uma cesariana de emergência em um hospital chinês, ela pensou que o pior havia passado. Então, as cobranças por dinheiro começaram.

De acordo com informações do Estadão:

Primeiramente, afirmou Juliana, o hospital lhe disse que ela tinha de pagar US$ 630 em taxas de internação se quisesse ver suas meninas. Três dias depois, ela contou, o montante chegou a aproximadamente US$ 800.

Ela não tinha o dinheiro. As cobranças a levaram às lágrimas.

“Quero pegar minhas meninas porque preciso amamentá-las”, afirmou Juliana, uma liberiana de 28 anos que vive em Guangzhou. “Dei à luz minhas bebês e nem sequer posso vê-las. Em que tipo de país estou?”.

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Assine nossa newsletter...

Inscreva seu e-mail para receber atualizações diárias com as últimas notícias do Brasil e do mundo.

Fique tranquilo(a), assim como você, odiamos spam :) Você poderá remover seu e-mail a qualquer momento.

Deixe seu comentário...

Veja também...