Huang Yanling: suposta ‘paciente zero’ do coronavírus desapareceu

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

O paradeiro de pesquisadora considerada a “paciente zero” do coronavírus continua desconhecido.

Apesar da intensa campanha de propaganda, a estratégia da China para tentar se desconectar da origem do novo coronavírus não está surtindo efeito.

É evidente que o regime comunista não está sendo totalmente transparente sobre os números reais da pandemia no país, nem sobre a forma pela qual o Covid-19 começou a se expandir.

Agora, após as últimas evidências conectando o Instituto de Virologia de Wuhan com o coronavírus, a atenção mundial se voltou para o laboratório de altíssima segurança localizado no epicentro do surto.

Ao longo dos últimos meses, o nome da chinesa Huang Yanling, uma pesquisadora do laboratório, vinha circulando na internet como a suposta “paciente zero”, isto é, a primeira pessoa infectada pelo Covid-19.

Os rumores sobre Yanling foram tão amplificados na internet chinesa que gerou uma negação oficial do Instituto de Virologia de Wuhan. 

No último dia 16 de fevereiro, o laboratório negou que o “paciente zero” fosse um de seus funcionários, mencionado Yanling diretamente:

“Recentemente, informações falsas apontaram Huang Yanling, formada em nosso instituto, como a paciente zero do novo coronavírus.”

O portal National Review destaca que o site do Instituto de Virologia de Wuhan ainda tem o nome de “Huang Yanling” como uma estudante de graduação em 2012, mas a sua imagem e biografia parecem ter sido removidas recentemente.

Em 17 de fevereiro, Zhen Shuji, um correspondente em Hong Kong da rádio pública francesa RFI, relatou:

“Quando um repórter do Beijing News solicitou informações ao Instituto de Virologia de Wuhan sobre rumores acerca do paciente zero, o instituto primeiro negou que houvesse uma pesquisadora Huang Yanling, mas depois de saber que o nome da pessoa estava na internet, reconheceu que ela havia trabalhado na empresa, mas que não conhece seu paradeiro desde que deixou o cargo.

Uma grande quantidade de chineses está procurando por Huang Yanling, mas, com toda certeza, a maioria acredita que seu corpo foi rapidamente cremado pelas autoridades do regime comunista após não resistir ao coronavírus.

Uma aparição pública de Yanling dissiparia todos estes rumores, e é o tipo de coisa que Pequim organizaria rapidamente em circunstâncias normais — presumindo que a pesquisadora esteja viva, é claro.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.