Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Hungria acusa Soros de organizar protestos violentos contra o governo

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Hungria acusa Soros de organizar protestos violentos contra o governo

O centro de Budapeste foi palco nesta sexta-feira (14) de uma terceira noite consecutiva de protestos contra o presidente húngaro Viktor Orban, após a adoção na quarta-feira (12) de uma flexibilização da lei trabalhista.

Reunidas em frente ao parlamento, entre 2.000 e 3.000 pessoas, a maioria entre 20 e 30 anos, mais uma vez desafiaram as forças de segurança da Hungria, atirando garrafas de vidro contra a polícia, que respondeu com bombas de gás lacrimogêneo, disseram os jornalistas da “AFP“.

A nova lei prevê que as empresas autorizadas peçam aos seus funcionários que façam até 400 horas-extras por ano – isto é, o equivalente a dois meses de trabalho – pagáveis dentro de três anos.

A legislação foi apresentada pelo premiê Viktor Orban como uma maneira de permitir que os trabalhadores aumentem sua renda. Enquanto a oposição esquerdista rotulou-a de “lei dos escravos”.

Protestos na Hungria contra nova legislação trabalhista

O porta-voz do partido conservador governista Fidesz disse que os protestos estavam sendo organizados pelo bilionário globalista George Soros, que é encarado como o grande inimigo da cultura húngara.

Segundo o jornal “Hungary Today“, ele declarou:

A oposição, em uma situação desesperadora, faz papel de palhaço no parlamento, agindo de forma agressiva e conspirando com as organizações de Soros para organizar protestos violentos nas ruas.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email