Imam é condenado por abuso sexual e recebe apoio da comunidade muçulmana

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Um líder religioso islâmico foi considerado culpado em três acusações por ter molestado um adolescente na mesquita em que ensinava o Alcorão. O imam de Nottinghamshire aguarda sentença.

Mohammed Rabani, de 61 anos, foi considerado culpado pela Corte de Nottingham de um abuso sexual que aconteceu entre 1990 e 1992, época em que a vítima tinha 12/13 anos, de acordo com a BBC.

A vítima só foi à polícia em 2015, mais de 20 anos depois. Após retornar à área em que morava, pediu para que os líderes da mesquita o expulsassem do cargo, mas eles apenas o retiraram do posto de pregador e permitiram que ele continuasse a ensinar o Alcorão a crianças.

Durante o julgamento, foi contado ao júri que após a vítima levar as acusações à polícia, Rabani contou que estava sendo acusado aos membros da mesquita, jogando a comunidade muçulmana contra a vítima.

“Ele decidiu sair contando a história por aí e fez questão de confirmar que a comunidade duvidasse de mim, falando coisas como ‘o que você está fazendo?’. As pessoas vinham até mim falando ‘por que está acusando ele? Sabe que não é verdade’.”

De acordo com o NottinghamshireLive, a vítima falou que, após o abuso, teve que sair da cidade. “Foi para me tirar do caminho e abrir espaço para que eles jogassem a história para baixo do tapete”.

O juiz do caso, Gregory Dickinson QC, pediu que Rabani entregasse seu passaporte inglês e disse que “a prisão era inevitável” quando a sentença saísse. O condenado foi liberado provisoriamente pelo juiz, sob as alegações de que, por ser um líder religioso, precisava resolver questões pendentes.

 

Com informações de: [BBC e Breitbart]

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.