Português   English   Español

Imprensa ataca Araújo ao confundir globalismo com globalização

O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou na quarta-feira (14) o diplomata Ernesto Araújo para assumir o ministério das Relações Exteriores.

Logo após o anúncio, o futuro chanceler começou a ser alvo de uma série de ataques da grande mídia por causa de seu posicionamento contrário à agenda globalista.

Jornalistas vasculharam todos os seus textos, compilando-os de maneira recortada e desconexa com o intuito de confundir a opinião pública e manchar a escolha do presidente eleito Jair Bolsonaro.

“Quero ajudar o Brasil e o mundo a se libertar da ideologia globalista. Globalismo é a globalização econômica que passou a ser pilotada pelo marxismo cultural. É um sistema anti-humano e anticristão”, escreveu Ernesto Araújo em seu blog pessoal, causando calafrios nos membros da velha imprensa.

Durante participação em programa na rádio Jovem Pan, a jornalista Vera Magalhães demonstrou não conhecer a diferença entre “globalismo” e “globalização”. Confira o vídeo:

A rádio Central Brasileira de Notícias (CBN),  pertencente ao Sistema Globo de Rádio, publicou uma matéria suscitando um suposto conflito entre o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, e o chanceler indicado por Bolsonaro para chefiar o Itamaraty.

“Já há tensão entre Paulo Guedes e Ernesto Araújo, que é contra a globalização”, foi o título do texto publicado no site oficial da rádio.

Um erro grosseiro.

Globalismo é um conceito político, enquanto globalização é conceito econômico. Não dá para usar essas palavras como sinônimos nunca.

De acordo com informações da Gazeta do Povo:

Há duas palavras que, embora completamente diferentes, vêm sendo usadas como se fossem iguais, prestando-se a confusões dialéticas: globalização e globalismo. As diferenças entre as duas são abissais, irreconciliáveis. Não dá para usá-las como sinônimos nunca. Globalismo é um conceito político, enquanto globalização é conceito econômico.

Globalização econômica significa livre comércio e se trata de um arranjo que não necessita da intervenção de governos e burocratas – aliás, funciona muito melhor sem eles.

Globalismo é outra coisa: é um arranjo que só existe e funciona por causa de políticos e burocratas, é uma política internacionalista pela qual organismos mundiais e seus burocratas querem controlar o mundo e interferir na vida das populações por meio de decisões e resoluções autoritárias, em assuntos como imigração, racismo, descriminalização de drogas, educação, ideologia de gênero, aborto, maioridade penal e por aí vai.

Deixe seu comentário...

Veja também...

Newsletter Renova!

Preencha o formulário para assinar nossa newsletter.

Nome Email
newsletter