Inglaterra acusa Putin pelo envenenamento de ex-espião

Twitter
Facebook
Google+
LinkedIn
Pinterest

O governo britânico acusou o presidente da Rússia, Vladimir Putin, de ser o responsável em última instância pelo envenenamento de um ex-espião russo e de sua filha.

O Ministério Público britânico anunciou na quarta-feira (5) que tem evidências suficientes para acusar dois cidadãos russos, identificados como Alexander Petrov e Ruslan Boshirov, de acordo com seus passaportes, que podem ser falsos, pela tentativa de assassinato do ex-espião russo Sergei Skripal, sua filha Yulia e um policial britânico, que foi envenenado quando prestou ajuda, em 4 de março em Salisbury, no sudoeste da Inglaterra.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmou horas depois que os dois eram agentes da inteligência militar russa, o GRU, e que teria dirigido toda a operação de envenenamento com Novichok, uma substância neurotóxica poderosa surgida de um programa químico desenvolvido na antiga União Soviética.

Nesta quinta-feira (6), o secretário de Estado britânico para Segurança, Ben Wallace, foi além e disse em declarações à rádio BBC4 que Londres considera Vladimir Putin o responsável pelo ataque.

Wallace declarou:

Em última análise, na medida em que ele é o presidente da Federação Russa e seu governo controla, financia e dirige inteligência militar através do ministério da Defesa. Eu não acho que alguém possa dizer que Putin não tem controle sobre seu Estado (…) E o GRU não é, sem dúvida, independente do Estado. Está ligado a altos funcionários russos e ao ministro da Defesa, e através deles ao Kremlin e ao gabinete do presidente.

 

Adaptado da fonte AFP
Twitter
Facebook
Google+
LinkedIn
Pinterest

Isso também pode te interessar

Deixe seu comentário

Anunciante
e-consulters
Parceiro

Assine nossa Newsletter!

Preencha o formulário para assinar.

Nome Email
newsletter

Últimas publicações