Instituições de ensino na Venezuela estão fechando as portas

Com pagamento mensal que não chega a 20 reais para professores, instituições de ensino venezuelanas enfrentam evasão de alunos e ameaçam fechar as portas.

A crise econômica, política e social na Venezuela também está afetando as universidades do país: com altos índices de evasão de alunos e professores, instituições começam a mudar suas rotinas. E ameaçam fechar as portas.

O impacto é especialmente cruel para os professores: além de não terem dinheiro para se deslocar até a universidade todos os dias, foi necessário suspender o regime de exclusividade para que eles pudessem se dedicar a outras formas de trabalho.

Segundo informações da Gazeta do Povo:

A Universidade de Zulia (LUZ) é um bom retrato do que está ocorrendo em outras instituições de ensino do país. Os dias letivos foram alterados para se adequar à dificuldade dos estudantes de irem para as aulas: a jornada acadêmica foi reduzida para apenas três dias semanais.

“Trabalhamos todos os dias, mas nos organizamos para que cada professor, aluno e funcionário venha apenas três vezes por semana”, diz Judith Aular, reitora encarregada da LUZ.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia