Português   English   Español

Internet cobra explicações sobre “visita” de Adélio à Câmara

A hashtag #PorEnganoMeuOvo alcançou o topo dos assuntos mais comentados do Twitter brasileiro na manhã desta quinta-feira (20).

A tag começou a viralizar no Twitter brasileiro após a Polícia Legislativa da Câmara explicar o motivo do nome do esfaqueador de Jair Bolsonaro constar na lista de visitas ao Congresso no dia do atentado em Juiz de Fora.

O nome de Adélio Bispo de Oliveira consta nos registros de entrada da Câmara no dia do ataque contra o presidenciável, dia 6 de setembro.

De acordo com ofício da Polícia Legislativa, ficamos sabendo da existência de dois registros de entrada do esfaqueador na Câmara dos Deputados nada do atentado contra Bolsonaro.

Após uma breve investigação, a Polícia Legislativa da Câmara entendeu que tudo não passou de um “engano” cometido por um funcionário terceirizado.

De acordo com o diretor do órgão, Paul Pierre Deeter, tudo não passou de uma confusão:

Como o caso teve grande repercussão na mídia, o funcionário quis fazer essa busca, mas acabou registrando o nome de Adélio no sistema 4 horas depois do fato”.

Para o diretor, não houve má-fé neste caso porque há o registro de que o recepcionista acionou seus superiores imediatamente para relatar o ocorrido. Como o sistema usado é antigo, o dado não pode ser apagado e acabou permanecendo.

Os apoiadores de Jair Bolsonaro não acharam válidas as explicações da Polícia Legislativa da Câmara e entendem que o novo fato é mais uma evidência de que o atentado contra o candidato do PSL não é obra de um “lobo solitário”.

Abaixo citamos alguns exemplos dos comentários circulando no Twitter com a hashtag #PorEnganoMeuOvo.

Deixe seu comentário...

Veja também...

Newsletter Renova!

Preencha o formulário para assinar nossa newsletter.

Nome Email
newsletter