“Intervenção não é varinha de condão”, diz general Mourão

Capa: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

Em Porto Alegre, o general da reserva chamou a campanha de alguns caminhoneiros e de parte da sociedade brasileira pela intervenção militar de “desserviço”.

O general Hamilton Mourão, na reserva desde fevereiro deste ano, disse na manhã desta terça-feira (29), em Porto Alegre, que é contra a intervenção militar desejada por parte da sociedade.

Em entrevista à revista VEJA, Mourão disse que intervenção militar não é “solução imediata” e que não é “varinha de condão” que faz “plim, plim” e “está tudo resolvido”.

‘O país não tem que ser tutelado pelas Forças Armadas’, afirmou o militar.

Embora rejeite a ideia de uma intervenção militar, o general já se envolveu em polêmicas defendendo a medida anteriormente.

Hamilton Mourão também criticou o atual ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, o qual considerou ser “incapaz de saber como se faz um plano” e o presidente Michel Temer, que, para ele, “se for passar a mão em cima da cabeça de uma criança, a criança começa a chorar”.

 

Com informações da Defesa Net
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia