“Intervenção não é varinha de condão”, diz general Mourão

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Em Porto Alegre, o general da reserva chamou a campanha de alguns caminhoneiros e de parte da sociedade brasileira pela intervenção militar de “desserviço”.

O general Hamilton Mourão, na reserva desde fevereiro deste ano, disse na manhã desta terça-feira (29), em Porto Alegre, que é contra a intervenção militar desejada por parte da sociedade.

Em entrevista à revista VEJA, Mourão disse que intervenção militar não é “solução imediata” e que não é “varinha de condão” que faz “plim, plim” e “está tudo resolvido”.

‘O país não tem que ser tutelado pelas Forças Armadas’, afirmou o militar.

Embora rejeite a ideia de uma intervenção militar, o general já se envolveu em polêmicas defendendo a medida anteriormente.

Hamilton Mourão também criticou o atual ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, o qual considerou ser “incapaz de saber como se faz um plano” e o presidente Michel Temer, que, para ele, “se for passar a mão em cima da cabeça de uma criança, a criança começa a chorar”.

 

Com informações da Defesa Net

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.