Português   English   Español
Português   English   Español

Investigado por corrupção, esquerdista francês se diz vítima de complô

Investigado por corrupção, esquerdista francês se diz vítima de complô
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

O presidente do partido de extrema-esquerda “A França Insubmissa” e ex-candidato à presidência da França, Jean Luc Mélenchon, prestou depoimento na quinta-feira (18).

Ele falou durante cinco horas, em uma investigação sobre o financiamento público de sua campanha presidencial e sobre a suspeita de funcionários fantasmas em seu partido. Mélenchon acusou nesta sexta-feira (19) o presidente francês, Emmanuel Macron, de ter criado um “circo midiático”.

Jean Luc Mélenchon é acusado de ter apresentado gastos excessivos à Comissão Nacional das Contas de Campanha e de Financiamentos Políticos (CNCCFP), que validou seu orçamento num primeiro momento, mas pediu revisões em seguida.

Após cinco horas de interrogatório, Mélenchon afirmou já ter respondido, por escrito, à administração do Parlamento europeu sobre a acusação da existência de funcionários fantasmas no seio de seu partido. Com relação ao financiamento de campanha, o político de esquerda estimou que “não tinha mais nada a dizer”, já que o orçamento apresentado foi validado num primeiro momento.

O líder da extrema-esquerda acusa o presidente da França de querer aparecer como “o salvador da pátria”, ao propor o remanejamento de seu governo na mesma semana em que tenta caricaturar Mélenchon como seu oposto: um político corrupto.

“Senhor Macron, está na hora de rebobinar seu filme. Sua manobra já está acabada”, declarou o líder esquerdista.

O deputado está no centro de uma tempestade política após se opor, violentamente, às forças de ordem no contexto das investigações. Em um vídeo, Mélenchon aparece chamando seus colegas para “derrubar a porta” da sede de seu partido, onde os policiais atuavam. Após o incidente, o político foi acusado de “ameaças e atos de intimidação contra autoridade judiciária” e “violências contra autoridade pública”.

 

Adaptado da fonte RFI

Compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...

Curta a RENOVA!