Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch
Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch

Irã autoriza ação firme contra “atos terroristas” dos EUA

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Irã autoriza ação firme contra “atos terroristas" dos EUA
Imagem: Reprodução/Twitter

Nos últimos anos, confrontos periódicos entre a Guarda Revolucionária e os militares dos EUA foram registrados no Golfo Pérsico.

O Parlamento do Irã aprovou nesta terça-feira (23) um projeto de lei que pede que o regime islâmico adote medidas duras para reagir a “ações terroristas” de forças dos Estados Unidos.

A informação foi noticiada pela televisão estatal iraniana, retaliando a inclusão da Guarda Revolucionária de elite do país em uma lista negra de grupos terroristas formulada pelo governo Donald Trump.

Teerã reagiu à designação, que entrou em vigor em 15 de abril, classificando o Comando Central dos EUA (Centcom) como uma organização terrorista e o governo norte-americano como um patrocinador do terrorismo.

“O projeto de lei autoriza o governo a adotar medidas firmes e retaliatórias contra atividades terroristas de forças americanas que ameacem interesses do Irã”, disse a rede de TV estatal.

“O governo deveria usar medidas legais, políticas e diplomáticas em resposta às ações americanas”, acrescentou a reportagem, segundo a agência Reuters.

O governo Trump, que segue adotando uma postura cada vez mais rígida com o Irã, disse em um comunicado divulgado na segunda-feira (22) que o presidente decidiu não renovar as dispensas para importadores comprarem petróleo iraniano sem enfrentar sanções a partir de maio, como noticiou a RENOVA.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Comentários

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Outras Notícias