Israel e EUA acusam líder da Palestina de antissemitismo

Autoridades dos Estados Unidos e Israel condenaram as declarações do presidente palestino, Mahmud Abbas, nesta quarta-feira (2).

O líder da Palestina sugeriu que a “função social” dos judeus especialmente no setor bancário, e não o antissemitismo, foi a causa dos massacres no passado.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, tuitou:

Aparentemente, um negacionista do Holocausto continua sendo um negacionista.

“Está na hora de desaparecer”, completou o premiê israelense sobre Mahmud Abbas.

De acordo com informações do Diário Catarinense:

O porta-voz do Ministério israelense das Relações Exteriores, Emmanuel Nahshon, acusou Abbas “de atiçar o ódio religioso e nacionalista contra o povo judeu e Israel”.

Já o embaixador dos Estados Unidos em Israel, David Friedman, que é judeu, considerou que Abbas “caiu mais baixo do que nunca”.

Várias vezes acusado de antissemitismo por Israel, o presidente palestino sugeriu, na segunda-feira, em uma reunião política em Ramallah, na Cisjordânia ocupada, que as atividades dos judeus no setor bancário provocaram hostilidade em relação a eles.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia