Israel expulsa ativista dos direitos humanos do país

O governo de Israel anunciou um prazo de duas semanas para que o diretor local do Observatório dos Direitos Humanos (HRW) abandone o país, sob a acusação de “apoiar o boicote a Israel”, o que a ONG nega.

Um comunicado divulgado pela pasta do Interior explica a decisão:

Em consequência das recomendações do ministério das Relações Exteriores, que contêm informações segundo as quais (Omar) Shakir é, há muitos anos, um militante do BDS que apoia o boicote a Israel de forma ativa, o ministério decidiu encerrar sua permissão de residência.

O BDS (Boicote, Desinvestimento, Sanções), um dos movimentos que mais irrita o governo israelense, é uma campanha global de boicote econômico, cultural ou científico a Israel, com o objetivo de acabar com a ocupação e colonização dos Territórios Palestinos.

De acordo com informações do BOL:

O governo israelense luta ferozmente contra tudo que possa parecer um boicote.

Omar Shakir, de nacionalidade americana, tem 14 dias para abandonar o país.

A HRW, uma organização de defesa dos direitos humanos, nega que o diretor tenha expressado apoio ao BDS e pretende recorrer à justiça israelense.

“Não se trata de Shakir, e sim de amordaçar a HRW para calar as críticas contra as violações dos direitos humanos em Israel”, afirmou a Human Rights Watch em um comunicado.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

1 Comentário

  1. Michel Farhud disse:

    Israel não quer testemunhas das atrocidades que comete diariamente…!
    Radicalismo, intolerância, genocídios, campos de concentração…
    Aprenderam bastante com os nazistas !!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *