Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Itália confisca navio de ONG transportando imigrantes ilegais

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Itália confisca navio de ONG transportando imigrantes ilegais

A embarcação da ONG foi recebida por diversos navios militares italianos após invadir águas territoriais.

O governo da Itália autorizou, neste domingo (7), o desembarque dos 41 imigrantes ilegais a bordo do veleiro “Alex”, da ONG italiana Mediterranea, mas confiscou a embarcação após o capitão ter infringido a lei que proíbe atracar nos portos do país.

No sábado (6), o barco forçou a entrada no porto de Lampedusa alegando que não haviam mais “condições higiênicas” toleráveis a bordo, dada a falta de instalações para comportar os migrantes e a tripulação.

Apesar de Salvini ter prometido anteriormente que não permitiria o desembarque, os migrantes pisaram no território italiano depois de ficarem quase seis horas a bordo do barco atracado em Lampedusa.

A medida só foi aprovada por conta da apreensão “penal preventiva” do veleiro e de uma investigação aberta contra a tripulação.

Por volta da meia-noite, as autoridades da Guarda de Finanças da Itália chegaram a bordo do Alex para realizar uma vistoria e anunciar que estavam apreendendo o navio e abrindo um inquérito contra o capitão por favorecimento à imigração ilegal.

Segundo Salvini, o barco de resgate não estava em dificuldades e, portanto, não precisava atracar na Itália, o que foi “uma das muitas mentiras das ONGs de esquerda”, informa a agência ANSA.

Esta é a segunda vez que uma embarcação humanitária desafia a política anti-imigração de Salvini, depois do caso da ONG alemã Sea Watch, da capitã Carola Rackete.

A Itália tem sido um dos principais destinos dos imigrantes ilegais que tentam chegar à Europa através da rota do Norte da África, principalmente da Líbia.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email