Itália diz que Tunísia exporta condenados ao país

Em visita à Sicília, o ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, disse que o país africano “exporta condenados” para o continente europeu.

O chanceler da Tunísia manifestou nesta segunda-feira (4) seu “profundo estupor” por conta de uma declaração do novo ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini.

O líder do partido direitista Liga, responsável pela gestão migratória e da segurança da Itália, declarou na última sexta-feira (1), durante visita a centro de acolhimento na Sicília:

A Tunísia é um país livre e democrático que não está exportando cavalheiros, mas frequentemente e com prazer exporta condenados.

De acordo com informações do BOL:

A Tunísia é uma das rotas para imigrantes clandestinos e refugiados que querem chegar à Europa, já que está a pouco mais de 100 quilômetros da ilha italiana de Lampedusa, no Mediterrâneo. “Não me parece que haja guerras, epidemias ou fome na Tunísia”, acrescentou Salvini.

As declarações também chegaram no mesmo dia em que mais de 30 pessoas morreram no naufrágio de um barco clandestino no litoral tunisiano.

“A Tunísia expressa seu profundo estupor pelas declarações do ministro do Interior italiano sobre o tema da imigração”, diz uma nota do Ministério das Relações Exteriores de Túnis.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia