Itália fecha os portos para imigrantes ilegais

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

“A partir de hoje, a Itália começa a dizer ‘não’ ao tráfico de seres humanos, ‘não’ ao negócio da imigração clandestina”, escreveu o ministro do Interior Matteo Salvini.

No domingo (10), o Ministério do Interior da Itália recusou autorização para um navio com 629 imigrantes ilegais de ancorar no país.

Essa foi a primeira vez que uma embarcação foi rejeitada desde que o líder do partido direitista Liga, Matteo Salvini, assumiu o controle da pasta.

O ministro enviou uma carta “urgente” às autoridades de Malta, afirmando que o porto “mais seguro” para o navio Aquarius – operado pelas ONGs SOS Méditerranée e Médicos Sem Fronteiras – atracar é o da capital Valeta.

Matteo Salvini declarou:

No Mediterrâneo, há navios com bandeira de Holanda, Espanha, Gibraltar, Grã-Bretanha, há ONGs alemãs e espanholas, tem Malta, que não acolhe ninguém, tem a França, que rechaça [imigrantes] na fronteira, tem a Espanha, que defende suas fronteiras com armas. Em resumo, toda a Europa que cuida dos seus próprios assuntos.

Salvini ganhou popularidade na Itália ao transformar a Liga, partido tradicional que lutava pela independência da Padania, em uma das mais fortes legendas de direita da União Europeia, com um discurso de “tolerância zero” com a migração ilegal.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.