Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Itália proíbe comercialização de ‘maconha light’

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Itália proíbe comercialização de 'maconha light'

O produto era permitido na Itália desde janeiro de 2017, impulsionando a abertura de lojas de produtos derivados da cannabis por todo o país.

O Tribunal de Cassação da Itália decidiu, nesta quinta-feira (30), proibir a comercialização de “maconha light”, usada como base para fabricação de alimentos, cosméticos, materiais de engenharia e matérias-primas biodegradáveis.

A “Cannabis light” conta com a substância psicoativa THC, a qual modifica a atividade cerebral humana, mas em um índice abaixo do limite de 0,6% imposto por lei.

A nova medida especifica que a venda de produtos que contêm ou são constituídos da inflorescência de cânhamo, em particular óleos e resinas, não se enquadra no âmbito da aplicação da Lei 242 de 2016, que qualifica o cultivo de cânhamo apenas para fins medicinais.

No ano passado, o Conselho Superior de Saúde (CSS) da Itália considerou que o nível de THC descrito na lei – entre 0,2% e 0,6% – “não é insignificante”, e efeitos colaterais podem surgir caso a substância seja ingerida ou haja aumento da dose, informa a agência ANSA.

A nova medida segue a recente batalha contra a planta iniciada pelo ministro do Interior e vice-premiê da Itália, Matteo Salvini, que chegou a fechar estabelecimentos do tipo, os quais definiu como “pontos turísticos da maconha”.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email