Jair Bolsonaro isolado na liderança em nova pesquisa

Um levantamento inédito publicado pelo Instituto Paraná mostra o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) isolado na dianteira da corrida ao Planalto.

A pesquisa do Instituto Paraná ouviu, entre os dias 27 de abril e 2 de maio, 871 pessoas, em 137 municípios de 26 unidades da federação, nas cinco regiões do país.

A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais com 95% de nível de confiança. O levantamento foi registrado no TSE sob o número BR 2853/2018.

A revista Veja publicou  os resultados da pesquisa do Instituto Paraná:

  1. Jair Bolsonaro – 20,5%
  2. Marina Silva – 12%
  3. Joaquim Barbosa – 11%
  4. Ciro Gomes – 9,7%
  5. Geraldo Alckmin – 8,1%
  6. Álvaro Dias – 5,9%
  7. Fernando Haddad – 2,7%
  8. Manuela D’Ávila – 2,1%
  9. Michel Temer – 1,7%
  10. Flávio Rocha – 1%
  11. Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB), João Amoêdo (Novo) e Rodrigo Maia (DEM) foram citados, mas não atingiram 1% das intenções de voto cada.

O analista político Rodrigo Constantino falou sobre a pesquisa em um artigo publicado no seu blog na Gazeta do Povo:

Uma olhada rápida pode animar os eleitores de Bolsonaro, que se estabeleceu de forma sólida na liderança, com certa folga para o segundo colocado (quase o dobro!). Porém, uma análise mais abrangente com base na ideologia mostra que a turma mais à direita não pode relaxar, pois os esquerdistas, somados, têm mais votos.

Se juntar Marina Silva, Joaquim Barbosa e Ciro Gomes, o pacote de esquerda tem mais de 30%. Ainda tem o PT e o PSOL que, juntos, dão mais 5% quase. Enquanto isso, os votos de centro, que podem pender tanto para a esquerda como a direita, somam perto de 15% (Alckmin, Álvaro Dias e Temer).

É óbvio que ainda falta muito para a eleição, que muita água vai rolar, que o rolo compressor das máquinas partidárias vai entrar em cena, ainda mais numa eleição casada, com candidatos a governo estadual também. Os milhares de prefeitos do PSDB e PMDB não podem ser ignorados, nem a força dos cabos eleitorais desses partidos grandes. E sabemos também que votos não são automaticamente transferidos de acordo com alinhamento ideológico, ainda mais num país tão personalista como o nosso.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

6 Comentários

  1. Bruno disse:

    Vamos chegar lá! Bolsonaro presidente!

  2. Jorge Luiz disse:

    O deputado Bolsonaro já está tecnicamente eleito no primeiro turno. Já possui, garantidamente, votos em bloco dos seguintes seguimentos da sociedade brasileira:
    a) Evangélicos, por identificarem-se com o discurso do deputado. Não mudarão seus votos. Representam cerca de 30 por cento dos eleitores;
    b) Produtores rurais (com cônjuge e um filho) não evangélicos, proprietários das cerca de 5,5 milhões de propriedades rurais do Brasil. Representam 8,5 por cento dos eleitores;
    c) Militares e assemelhados (policiais, bombeiros, agentes prisionais, guardas civis dos mais de 5.000 municipios, agentes de segurança privada e etc), com cônjuge e um filho, e não evangélicos. Representam cerca de 2,5 por cento dos eleitores;
    d) A comunidade judaica que representa 0,3 por cento dos eleitores.

    Assim, o deputado Bolsonaro já entra no pleito com cerca de 41,2 por cento de votos garantidos. Só essa porcentagem já seria suficiente para ganhar no primeiro turno. Mas, ele ainda vai concorrer com os demais junto aos 58,8 por cento de eleitores restantes. E com bastante chance de ser bem votado. Além disso, os eleitores do deputado são considerados muito fiéis para anularem seus votos ou se ausentarem. Assim, as ausências e anulações de votos só irão beneficiar o deputado.
    Agora, não dá mais para o deputado perder em uma eleição limpa.

  3. Franciney Ribeiro disse:

    Concordo plenamente com você Jorge Luis

  4. MARTONIO DIAS RODRIGUES disse:

    #VAMO PÓ RIO #VAMO TOMA TUDO #BOLSONARO 17

  5. RONALD disse:

    Com Urnas Eletrônica é muito difícil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *