Português   English   Español

Janaina Paschoal aponta hipocrisia da narrativa petista

Deputada estadual mais bem votada da história do Brasil, a professora Janaina Paschoal (PSL-SP) falou sobre o comportamento hipócrita do Partido dos Trabalhadores (PT).

“O PT está me processando por eu ter dito que o atentado a Jair Bolsonaro não foi um ato isolado. Ao fazer essa ponderação, eu não mencionei o nome do PT. Na ação, o PT nega viés ideológico por parte do agressor. Negar os fatos esse é o método do PT”.

Foi assim que Janaina Paschoal iniciou seu desabafo na manhã desta sexta-feira (12) no Twitter.

“Eu não acusei, nem estou acusando ninguém. Mas é importante que fique claro que a grande vítima de crime de ódio político-ideológico, nesta eleição, foi Bolsonaro!”, acrescentou a deputada estadual de São Paulo.

“Eles acusam de discurso de ódio quem foi vítima de crime de ódio orientado pela ideologia deles… inverter os papéis, técnica típica dos totalitarismos… Leiam Hannah Arendt”, continuou a jurista.

Janaina está fazendo uma referência à nova narrativa do PT sobre crimes de ódio supostamente cometidos por eleitores influenciados pelo discurso do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

Ontem (11), o capitão reformado do Exército veio a público dizer que não queria os votos de quem praticasse violência contra opositores. Mesmo assim, a grande mídia e membros do PT continuam tentando conectar Bolsonaro com supostas agressões.

Janaina Paschoal acrescentou:

Tenho recebido muitas mensagens, alardeando que a Democracia corre riscos. Se o PT voltar ao poder, depois de tudo que ficou comprovado, corre risco sim…

E mais:

Se eles fizeram tudo que fizeram quando precisavam disfarçar, o que não farão agora, que ninguém está comprando embrulhado? Pensem nisso!

Deixe seu comentário...

Veja também...

Newsletter Renova!

Preencha o formulário para assinar nossa newsletter.

Nome Email
newsletter