Português   English   Español

Jogadoras da Superliga falam sobre diferença física de Tifanny

Nessa terça-feira (09/01), o Vôlei Bauru jogou contra o Brasília e venceu por 3 sets a 1. Tifanny Abreu, primeira trans a jogar na elite do vôlei feminino, foi escolhida a melhor da partida.

Agora as próprias jogadoras resolveram falar. Todas têm a mesma opinião: a diferença física de Tifanny em relação às demais atletas é muito grande.

Mari Cassemiro, ponteira do Pinheiros, declarou:

Depois de nossa partida contra o Bauru, quando a Tifanny recebeu o troféu de destaque do jogo, eu disse que sempre que ela estiver em quadra, ninguém mais vai ganhar. Ela sempre vai se destacar, sempre estará acima das outras.

A líbero Ju Paes, também do Pinheiro, contou que passou a virada de ano ao lado de outras jogadoras, e o assunto foi tema dominante nas conversas.

Em um grupo de cinco meninas, duas só analisavam o lado humano, elogiando a luta que ela passou, desde a cirurgia, o tratamento de hormônios, etc. Esse lado é muito legal, mas e as vantagens sobre outras atletas? É uma diferença muito grande. Dentro de quadra, nos sentimos impotentes.

Vanessa Janke, capitã do Pinheiros, também deu sua opinião:

Se isso aumentar nos próximos anos, nós mulheres vamos perder espaço. A trans tem maior vantagem física. Todo clube vai querer contratar uma.

O Pinheiros foi o primeiro a ser derrotado pelo Vôlei Bauru após a estreia de Tiffany. No dia 19 de dezembro, em partida válida pela primeira rodada do returno da competição, o Bauru venceu por 3 a 1, com 25 pontos anotados pela primeira atleta trans autorizada pela Confederação Brasileira de Vôlei a jogar na Superliga.

 

Com informações de: (1)

 

Deixe seu comentário...

Veja também...

Newsletter Renova!

Preencha o formulário para assinar nossa newsletter.

Nome Email
newsletter