Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch
Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch

Jornal diz que Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, delatou o Judiciário

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Jornal diz que Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, delatou o Judiciário

O empresário Léo Pinheiro entregou membros do Judiciário em sua delação premiada, assinada com a Procuradoria-Geral da República após dois anos de negociações.

A informação foi publicada com exclusividade nesta quarta-feira (23) pelo jornal “O Antagonista“.

O ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, também confirmou o pagamento de propina nas reformas do sítio de Atibaia e do Triplex, e acrescentou detalhes de como bancada despesas da família do presidiário Lula da Silva.

Léo falou ainda do caixa 2 na campanha de Eduardo Paes para a Prefeitura do Rio de Janeiro, no ano de 2012.

Ao todo, o empreiteiro delatou 14 políticos de diferentes partidos – PT, PMDB, PSDB, PP e DEM.

A PGR, porém, não aceitou o acordo proposta pela família Mata Pires, acionista da OAS. Esse, aliás, foi um dos motivos da demora. César Mata Pires, um dos donos, foi preso pela Lava Jato em novembro – e solto após fiança de R$ 29 milhões.

Em relação ao Judiciário, ainda não há detalhes.

Em 2016, Rodrigo Janot cancelou as tratativas do acordo após matéria da “Veja” sobre uma reforma que a OAS realizou na mansão de Dias Toffoli, acrescenta “O Antagonista“.

O então PGR garantiu que não havia menção a Toffoli na delação do ex-presidente da OAS. Mas não explicou sua decisão.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email