Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Jornalistas da CNN são ridicularizados após “sobreviverem” à eleição

Jornalistas da CNN são ridicularizados após “sobreviverem” à eleição
COMPARTILHE

"Impressionante e valente. Obrigado pelo seu serviço”, debochou um jornalista.

O âncora da CNNJake Tapper, apagou um tuíte sobre como ele e seus colegas “sobreviveram” à eleição presidencial de 2020 nos Estados Unidos

A revista Esquire publicou um artigo, nesta segunda-feira (16), com a manchete “A história oral da semana eleitoral da CNN”. 

O texto documentou os bastidores da equipe da emissora enquanto os resultados das eleições estavam em andamento — como aconteceu em praticamente qualquer organização de mídia mundo afora. 

Em comentários à revista, os membros da CNN deixaram claro que estavam ali na torcida pelo candidato Joe Biden, do Partido Democrata

“Voltei para casa na quarta-feira pensando que havia uma chance de Donald Trump ser reeleito”, lamentou Tapper. 

Por falar no âncora, ele resolveu compartilhar o artigo da Esquire no Twitter com a seguinte legenda: 

“Uma história oral de como os jornalistas da CNN sobreviveram às eleições de 2020.” 

O tuíte e o artigo foram alvo de intensas críticas nas redes sociais. 

Tuíte foi apagado pelo âncora da CNN, Jake Tapper, após ser alvo de críticas e deboches.

Harry Khachatrian, editor colaborador do Daily Wire, ironizou: 

“Ah, sim, entre os trilhões de jornalistas da CNN que pereceram e morreram cobrindo a eleição americana de 2020, alguns sobreviveram milagrosamente a uma provação que representou literalmente risco zero para suas vidas e saúde.” 

“Era como a Normandia”, debochou o comentarista conservador Jeremy Frankel

“Impressionante e valente. Obrigado pelo seu serviço!”, ironizou o jornalista Jordan Schachtel

Já o comentarista conservador Ben Shapiro afirmou que os “escritórios com ar-condicionado, uma área de serviço realmente agradável e uma equipe de apoio em tempo integral” foi como a CNN sobreviveu à eleição. 

Bem, horas depois do infame tuíte, o âncora da CNN excluiu a mensagem apenas para postar novamente o artigo da Esquire. Desta vez, com sua manchete original. 

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários