Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Jovens vietnamitas são sequestradas e vendidas como esposas na China

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Jovens vietnamitas são sequestradas e vendidas como esposas na China

Muitas mães vietnamitas estão procurando suas filhas, temendo que tenham sido vendidas para se casar na China, onde a política do filho único estabelecida entre 1979 e 2015 gerou um déficit de dezenas de milhões de mulheres.

Algumas foram enganadas pelo namorado, enquanto o costume “hmong” do “zij poj niam” (casamento por sequestro) autoriza um jovem a sequestrar sua futura esposa com ou sem o consentimento da família dela.

Outras são encontradas nos mercados movimentados de domingo ou pelas redes sociais. E há as que aceitam viajar para a China com a promessa de um casamento feliz ou de um emprego melhor que os trabalhos em fazendas que a maioria acaba fazendo.

Segundo dados oficiais, o Vietnã registrou cerca de 3.000 casos de tráfico de pessoas entre 2012 e 2017, em sua maioria mulheres jovens. Mas estas estatísticas só representam pessoas que foram resgatadas ou que conseguiram voltar ao seu país por seus próprios meios.

A fronteira, de 1.300 km, é muito porosa e “o terreno é tão acidentado que é muito difícil de monitorar”, aponta Trieu Phi Cuong, oficial da unidade de investigações criminais de Meo Vac, entrevistado em um posto fronteiriço.

Segundo as jovens interrogadas, muitas vítimas sequer percebem no momento que são presa de traficantes, que as fizeram cruzar a fronteira chinesa.

Adaptado da fonte UOL


Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Comentários

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Outras Notícias