Juiz exilado diz que Maduro recebeu propina da Odebrecht

O juiz venezuelano Rafael Rommel Gil, exilado no Panamá, disse nesta quinta-feira (26) que o ditador Nicolás Maduro deveria ser denunciado por provas “suficientes” de que recebeu suborno da Odebrecht.

“Há méritos para acusar o senhor Nicolás Maduro por obras na Venezuela que não foram concluídas e outras tantas que nunca foram feitas”, afirmou o juiz.

De acordo com informações de O Antagonista:

Gil é um dos magistrados do Tribunal Superior de Justiça nomeados em 2017 pela Assembleia Nacional, de maioria opositora, cujas decisões não são reconhecidas pela ditadura. Os juízes dessa corte estão exilados no Panamá, na Colômbia, no Chile e nos EUA.

O juiz acrescentou que a ex-procuradora-geral Luisa Ortega Díaz, que deixou a Venezuela após ser destituída pela ditadura, apresentou provas para levar Maduro a julgamento.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *