Português   English   Español

Juíza Gabriela Hardt e a falta de apoio das feministas

Na tarde desta quarta-feira (14), a juíza substituta Gabriela Hardt interrogou o presidiário Lula no processo que investiga se houve ou não pagamento de propina no sítio em Atibaia.

A magistrada Gabriela Hardt é a substitua do juiz Sergio Moro, que se afastou da condução dos casos após aceitar o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro para assumir o ministério da Justiça no futuro governo.

Logo no começo do depoimento, o ex-presidente Lula tentou pressionar a magistrada. Elevando o tom de voz, o petista perguntou se o sítio de Atibaia é ou não dele.

Hardt barrou ali mesmo a gracinha do presidiário e deixou claro quem estava no controle:

“Isso é o senhor que tem que responder. Se começar com esse tom, a gente vai ter problema”, disse a juíza, conforme noticiou a Renova Mídia.

O humorista e apresentador Danilo Gentili publicou o vídeo deste trecho do interrogatório com a legenda “Lute como essa garota, Manuela”, marcando a ex-candidata a vice na chapa do PT, Manuela Dávila.

O perfil Tonho Drinks, também no Twitter, destacou que o comportamento de Lula foi um claro exemplo de machismo, pois o petista nunca havia se comportado desta forma com o juiz federal Sergio Moro.

O humorista Antonio Tabet também ficou surpreso por não ver nenhuma hashtag feminista em apoio à juíza Gabriela Hardt.

Deixe seu comentário...

Veja também...

Newsletter Renova!

Preencha o formulário para assinar nossa newsletter.

Nome Email
newsletter