Português   English   Español

Julgamento que pode reverter prisão de corruptos vai ao plenário do STF

Julgamento que pode reverter prisão de corruptos vai ao plenário do STF
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

O julgamento de ações sobre prisão após condenação em segunda instância estava previsto para o dia 10 de abril, mas foi adiado pelo presidente do STF, Dias Toffoli, após solicitação da OAB.


A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, nesta terça-feira (11), enviar para análise do plenário da corte o habeas corpus que pede a libertação daqueles que foram presos com base em súmula do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) que torna automática a execução provisória da pena após condenação em segunda instância.

Um dos presos que seriam beneficiados com a decisão é o ex-presidente Lula da Silva (PT).

Os magistrados da 2ª Turma entenderam que o tema é constitucional e que, portanto, deve ser decidido pelos 11 integrantes do Supremo, e não apenas pelo colegiado de 5 ministros.

O habeas corpus contesta uma súmula do TRF-4 que torna automática a execução provisória da pena após uma condenação em segunda instância.

O argumento é que a STF apenas autoriza, mas não obriga o cumprimento antecipado da pena após uma decisão em segunda instância.

Após o voto do ministro Ricardo Lewandowski, os outros magistrados da turma defenderam ainda que, a partir desse habeas corpus coletivo, o STF retome o julgamento de três ações semelhantes que contestam a constitucionalidade da prisão antes de esgotados todos os recursos possíveis na Justiça.

Curta e compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...