Lava Jato apura propina de R$ 200 milhões envolvendo Odebrecht e Petrobras

Como parte da Operação Déjà Vu, o juiz federal Sergio Moro expediu quatro mandados de prisão preventiva, dois de prisão temporária e 17 de busca e apreensão.

De acordo com o MPF, as investigações apontaram pagamento de propina entre 2010 e 2012, pelo menos, somando US$ 56,5 milhões – o equivalente a R$ 200 milhões em valores atuais.

As vantagens indevidas foram pagas para o fechamento de um contrato de US$ 825 milhões entre Petrobras e Odebrecht.

De acordo com informações da Gazeta do Povo:

O objeto do contrato, prossegue o Ministério Público, “era a prestação de serviços de reabilitação, construção e montagem, diagnóstico e remediação ambiental, elaboração de estudo, diagnóstico e levantamentos nas áreas de segurança, meio ambiente e saúde (SMS) para a estatal, em nove países, além do Brasil”.

Os pagamentos passaram pelo Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, que ficou conhecido como “departamento de propina” da empreiteira. Ex-funcionários da Petrobras receberam cerca de US$ 25 milhões e os intermediários do PMDB, cerca de US$ 31 milhões.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *