- PUBLICIDADE -

Lava Jato diz que interferência na PF é ‘inconcebível’

Lava Jato do Rio de Janeiro manda prender perito judicial
- PUBLICIDADE -

“É inconcebível que o Presidente da República tenha acesso a informações sigilosas”, diz a Lava Jato.

A força-tarefa da Lava Jato no Paraná demonstrou preocupação, nesta sexta-feira (24), com as declarações do ex-ministro Sergio Moro sobre tentativas de interferência do presidente da República, Jair Bolsonaro.

A Lava Jato disse que são atos “da mais elevada gravidade” e que é “inconcebível” o acesso do Planalto a dados sigilosos de investigações.

Em nota à imprensa, a força-tarefa declarou:

“A tentativa de nomeação de autoridades para interferir em determinadas investigações é ato da mais elevada gravidade e abre espaço para a obstrução do trabalho contra a corrupção e outros crimes praticados por poderosos, colocando em risco todo o sistema anticorrupção brasileiro.”

E acrescentou:

“É inconcebível que o Presidente da República tenha acesso a informações sigilosas ou que interfira em investigações.”

Ao anunciar sua demissão do governo, Moro criticou a insistência de Bolsonaro para a troca do comando da PF.

O ex-juiz também disse que o presidente queria ter acesso a informações e relatórios confidenciais de inteligência da PF, como noticiou a RENOVA.

PUBLICIDADE
- PUBLICIDADE -

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -