- PUBLICIDADE -

Lei do aborto será votada no Senado da Argentina nesta quarta

- PUBLICIDADE -

Senado da Argentina vota nesta quarta-feira (8) um projeto de lei que visa legalizar a prática do aborto.

Após ser aprovado em junho pela Câmara dos Deputados da Argentina, o projeto de lei que legaliza o aborto em até 14 semanas de gestação será votado no Senado nesta quarta-feira (8).

No país latino-americano, a prática do aborto já é permitida em caso de estupro ou quando a saúde da mãe está em risco.

Até o momento, estima-se que os senadores que se opõem à nova lei sejam maioria, mas o resultado da votação ainda é incerto.

De acordo com informações do G1:

A aprovação da nova lei é defendida por feministas e grupos de direitos humanos, estimulados nos últimos anos por esforços para acabar com a violência contra a mulher. Eles defendem o direito de a mulher decidir sobre a gestação e de ter acesso a um procedimento seguro.

Por outro lado, também há pressão contra a medida de ativistas religiosos, especialmente em partes rurais do país. Eles argumentam que o aborto deve ser impedido para salvar a vida do filho que irá nascer. As igrejas católica e evangélica têm convocado fiéis para protestarem contra o aborto. O lema dos manifestantes é “Sim às duas vidas. Educação sexual para prevenir, contenção para não abortar e adoção para viver”.

Segundo informações do Terça Livre:

A aprovação da legalização da prática do aborto tem sido uma agenda globalista, por meio de ONGs, e uma das pautas da esquerda mundial. No Brasil, a agenda encontrou eco no Supremo Tribunal Federal (STF), que já realizou audiências públicas para debater o assunto, em um claro ativismo judicial.

Para se ter ideia da força dessa agenda, na Argentina, o ministro da Saúde saiu em defesa do projeto de lei. O lobby é grande.

PUBLICIDADE
- PUBLICIDADE -

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -