Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Líder hindu pede a grife do Brasil para retirar Ganesha de shorts

COMPARTILHE

A imagem do Ganesha é rapidamente identificada por muitos por causa de sua cabeça de elefante.

Lord Ganesha é uma das divindades mais conhecidas e adoradas no panteão do Hinduísmo, a terceira maior religião do mundo, com cerca de 1,2 bilhão de seguidores. 

Um líder religioso da Índia pediu a uma marca de roupas do Brasil que retirasse a imagem do deus hindu de uma de suas linhas de shorts masculino e feminino. 

O clérigo Rajan Zed exigiu que a fabricante de roupas Jon Cotre pedisse desculpas por “banalizar profundamente” um dos deuses mais venerados do hinduísmo. 

Em um comunicado, segundo a agência Reuters, Zed declarou: 

“Lord Ganesha foi feito para ser adorado em templos ou santuários domésticos e não para adornar coxas, quadris, virilhas, nádegas, genitais e pélvis.”  

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
6 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Fernando
Fernando
7 dias atrás

todas as religiões devem ser respeitadas, todas simples assim

Maria
Maria
7 dias atrás

A única religião que está nem aí com o vilipêndio de seus símbolos é a católica. Bispos até aplaudem certos movimentos, se duvidar.

Aparecido
Aparecido
8 dias atrás

A confecção poderia usar a estampa de Maomé. Que será que aconteceria?

Cavalo Branco
Cavalo Branco
8 dias atrás

A ideologia de quem assinou tal estampa é de total desprezo com a religião alheia. Qualquer pessoa coerente sabe que não se coloca uma deidade cultuada por 1/4 da humanidade na genitália de ninguém, e tem muita gente que ainda tatua imagens sacras em tudo que é parte do corpo, isso também é desrespeitoso, por mais sagrado que esses indivíduos se considerem.

Fernando C de Mello
Fernando C de Mello
8 dias atrás

Sempre os GLobalistas passaram por cima e nunca respeitaram os Símbolos e Significados Religiosos de todos os povos.
Descuidados e egocêntricos nunca consideram com empatia a pessoa do outro mas só enxergam a própria missão econômica, seus objetivos empresariais e suas metas financeiras, seu fluxo de Caixa, abusivamente.
Sempre abominei o uso do Santo Nome “Brahma” como marca de cerveja e um Povo que se conduz assim termina por atrair sempre as maldições.
Certa vez um rapaz com deboche veio me contar que havia adquirido um cão de raça, uma Matriz Caríssima, numa viagem e que importava para melhorar a raça no Brasil.. e zombando de mim disse que havia posto o Nome de Krishna no animal, o que me fez repreende-lo duramente pelo desrespeito. Ele não levou a sério e não mudou.
Uma semana depois quando falamos ao telefone perguntei pelo cão e me informou que o mesmo havia morrido,
A HUMANIDADE SOFRE PORQUE NOS FALTA CONHECIMENTO !
NÃO COMPREENDEMOS O ELEVADO GRAU DA COMPLEXIDADE DA VIDA E DO UNIVERSOS E PRETENSIOSAMENTE ACHAMOS QUE A CRIAÇÃO ERROU, QUE O CRIADOR ERROU E QUE VAMOS CORRIGIR COM NOSSA VÃ CIÊNCIA !
ASSISTO HOJE HOMENS GANANCIOSOS DO PODER PROPOREM VACINAS E INTERVENÇÃO PARA FORÇAR MUTAÇÃO GENÉTICA EM INDIVÍDUOS AOS QUAIS QUEREM DOMINAR!
A ganância e o Poder degeneram e degradam a mente, a Alma e o Espírito das pessoas !
Enquanto a Humildade é o mais belo adorno da Personalidade de uma pessoa !

Última edição 8 dias atrás por Fernando C de Mello
Cavalo Branco
Cavalo Branco
Responder  Fernando C de Mello
8 dias atrás

O progressismo globalista se comporta como uma religião, se você parar para pensar é um comportamento de manada, a rebeldia e o deboche é sua marca registrada, o deus globalista é o mundano, e a consciência não ultrapassa o nível do primitivo, do mundo dos sentidos, tato, paladar, visão, olfato e audição, eles não transcendem, disso nasce essa falta de respeito com o que desconhecem.