Português   English   Español

Líderes partidários criticam ‘atitude hegemônica’ dos petistas

Líderes partidários criticam 'atitude hegemônica' dos petistas

Após vencer quatro disputas presidenciais seguidas, a postura do PT, classificada por ex-aliados e adversários como “hegemônica”, deixou um rastro de ressentimentos.

Este nariz empinado do PT hoje dificulta reaproximações e a formação de uma “frente democrática” em torno do presidenciável Fernando Haddad e contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL).

Em entrevista no domingo (14), o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso deixou claro que a postura do PT é um entrave para seu apoio a Haddad.

FHC declarou:

O PT no poder sempre teve uma deterioração da visão do (Antonio) Gramsci da hegemonia. Aqui não é cultural, é hegemonia do comando efetivo. Quando você vê o que foi dito a respeito do meu governo, nada é bom.

FHC não é o único. Carlos Lupi, presidente do PDT, partido que declarou “apoio crítico” a Haddad, explicou porque a sigla e Ciro Gomes não entraram de cabeça na campanha petista.

O PT também procurou a Rede de Marina Silva, por meio de ex-petistas. As tratativas pararam quando a Executiva Nacional do partido decidiu não apoiar o petista ao estabelecer apenas o veto a Jair Bolsonaro.

Questionado sobre as razões para não apoiar Haddad, Bazileu Margarido, membro da Executiva Nacional da Rede, criticou o que chamou de “erros” do PT, como as alianças com “o que há de pior na política”.

 

Adaptado da fonte Massa News

Deixe seu comentário

Veja também...