Livro milenar que ‘guiava almas ao submundo’ é encontrado no Egito

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Especialistas acreditam que as inscrições podem ser o “manual de instruções” ilustrado mais antigo da história.

Arqueólogos encontraram uma espécie de “manual de instruções” para o submundo egípcio. O documento dá as instruções para que as almas dos mortos deixem corpos e cheguem a Rostau, o reino do deus da morte Osíris

Os registros têm ao menos 4 mil anos e são, provavelmente, o “livro” ilustrado mais antigo da história, segundo um estudo publicado no Journal of Egyptian Archaeology.

A obra, que já era conhecida previamente, é chamado de “Livro dos Dois Caminhos”, pois apresenta dois percursos que os espíritos podem seguir por terra e outro por mar. 

Em entrevista ao jornal The New York Times, a especialista em egiptologia, Rita Lucarelli, da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, disse que o livro é um exemplo do quanto o povo do Antigo Egito refletia sobre a mortalidade:

“Os egípcios eram obcecados com a vida em todas as suas formas. Para eles a morte era uma nova vida.”

Ao invés de serem impressos em papel, os livros dessa época eram pintados nas paredes dos sarcófagos, para que a alma do morto pudesse consultá-las quando deixasse o corpo.

A tumba na qual as ilustrações foram encontradas pertencia a uma mulher da alta sociedade chamada Ankh, informa a revista Galileu.

Local onde o livro foi encontrado, na tumba de Ankh (Imagem: Harco Willems/Journal of Egyptian Archaeology)

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.