Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
- PUBLICIDADE -

Macri pede corte de impostos para aliviar alta de tarifas na Argentina

Tarciso Morais

Tarciso Morais

COMPARTILHE

O governo argentino dispôs a partir do mês de abril aumentos de 45% a 58% no preço do gás natural.

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, pediu nessa segunda-feira (23) aos governadores de províncias e prefeitos que cortem impostos para atenuar a alta das tarifas de luz, gás e água, cujos fortes aumentos têm causado comoção social e política.

“Peço-lhes que eliminem os impostos que cobram sobre os serviços públicos e assim ajudarão a aliviar a carga sobre cada consumidor, cada comércio e cada pequena e média empresa”, disse Macri em um discurso ao país.

De acordo com informações do Correio Braziliense:

O governo dispôs a partir de abril aumentos de 45% a 58% no preço do gás natural. Já os ajustes nas contas de eletricidade oscilam entre 39% e 47%, enquanto as de água potável subirão 26%.

Os aumentos tarifários de serviços essenciais têm causado uma reação de manifestações de rua e protestos em todo o país.

A primeira resposta positiva ao pedido de Macri veio da governadora da província de Buenos Aires, María Eugenia Vidal, da aliança governante de direita Cambiemos. Minutos após o discurso do presidente, Vidal reduziu os tributos sobre a luz, o gás e a água em uma província com 18 milhões de habitantes. A população total na Argentina soma 43 milhões de pessoas.

No entanto, ainda não se sabe qual será a conduta dos 23 distritos restantes, governados na maioria pela oposição.

- PUBLICIDADE -

CANAL TELEGRAM:
Acompanhe as principais notícias através do nosso canal no Telegram. INSCREVA-SE!

Error: Embedded data could not be displayed.
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
VEJA TAMBÉM
Error: Embedded data could not be displayed.