Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Macron condena jihadistas e defende direito à liberdade de expressão

COMPARTILHE

"Podemos debater e argumentar sem precisar recorrer às mãos”, diz Macron.

O presidente Emmanuel Macron voltou a defender, nesta segunda-feira (16), a legislação da França sobre a laicidade e a liberdade de expressão. 

Em entrevista à revista online Le Grand Continent, Macron destacou que a Constituição do país permite, entre outras manifestações, a publicação de caricaturas de Maomé, o profeta do Islamismo, assim como críticas a todas as religiões. 

O mandatário francês afirmou que existe um movimento estruturado de intimidação de líderes políticos e religiosos de uma parte do mundo muçulmano. 

De acordo com Macron, o intuito dos islâmicos é fazer a França modificar suas leis e direitos: 

“Isso me choca. Eu sou a favor do respeito às culturas e às civilizações, mas não vou mudar o meu direito porque ele choca em outro lugar.” 

O chefe da França acrescentou: 

“É precisamente porque o ódio é proibido nos valores europeus que a dignidade da pessoa humana prevalece sobre o resto. Uns podem chocar os outros e vice-versa.”  

Macron completou: 

“Podemos debater e argumentar sem precisar recorrer às mãos, porque isto é proibido, e a dignidade humana está acima de tudo.” 

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
1 Comentário
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Cavalo Branco
Cavalo Branco
8 dias atrás

Primeiro ele bajula o islã, depois provoca, depois volta a bajular, então provoca… é um ciclo sem fim…

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE