Maduro diz que país “está em ordem” e nega crise migratória

Idiomas:

Português   English   Español
TARCISO MORAIS
TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

As declarações fantasiosas do ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, foram feitas em uma entrevista concedida à emissora France24.

Nicolás Maduro falou sobre a falta de reconhecimento internacional para as próximas eleições, negou a crise humanitária e migratória no país e acusou seus vizinhos latino-americanos de tramar “uma campanha contra a Venezuela”.

O ditador venezuelano afirmou que vários presidentes dos Estados Unidos (Clinton, Bush, Obama e Trump) têm demonstrado que o “objetivo da política norte-americana com relação à revolução bolivariana é descartá-la, submetê-la a pressões e buscar uma mudança de governo”.

Maduro classificou o governo de Donald Trump de “KKK de Washington”.

Ao contrário do seu comparsa boliviano Evo Morales, Maduro disse não temer uma intervenção militar:

As condições geopolíticas e as fortalezas da revolução bolivariana tornam inviáveis quaisquer alternativas nesse sentido. Não atuamos segundo o medo, mas segundo certezas.

Para finalizar a entrevista com ‘chave de ouro’, Maduro disse que a situação da Venezuela é “como a de qualquer país do mundo” e sustenta que em sua nação “nunca houve e nunca haverá” uma crise migratória.

 

Com informações de: [RFI]

Newsletter RENOVA

Receba diariamente as últimas notícias do Brasil e do Mundo.

Curta e compartilhe esta notícia

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on google
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email

Deixe seu comentário

Veja outras notícias em destaque