- PUBLICIDADE -

Maia rejeita narrativa de desidratação da reforma da Previdência

Maia rejeita narrativa de desidratação da reforma da Previdência
- PUBLICIDADE -

“Não vai perder muita coisa”, tranquilizou Maia após aprovação o plenário da Câmara aprovar três emendas na madrugada de sexta-feira (12).

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não acha que os deputados federais estão desidratando a reforma da Previdência no Plenário.

Maia ainda mantém a expectativa de votar toda a PEC da reforma previdenciária ainda esta semana, mas admitiu que, se houver falta de quórum para garantir a votação, o segundo turno pode ficar para o segundo semestre.

Em entrevista coletiva no início da madrugada desta sexta-feira (12), logo após encerrar a votação de emendas na Câmara, Maia afirmou que as emendas aprovadas no plenário não desidratam o texto.

Nas últimas horas, com apoio do PSL, três alterações no texto-base da reforma foram aprovadas na Câmara dos Deputados: redução no tempo mínimo para aposentadoria das mulheres, dos homens e a suavização de regras para a classe policial.

Segundo o site MoneyTimes, Maia afirmou que todos esses trechos foram negociados com a equipe econômica do governo Jair Bolsonaro e o impacto é mínimo na economia pretendida:

“Não é uma desidratação: é um acordo que construímos com o secretário Rogério Marinho naquilo que era possível ceder em relação ao todo para não se perder o principal. Não vai perder muita coisa, em alguns destaques teve perda de receita, mas também teve ganho de receita.”

PUBLICIDADE
- PUBLICIDADE -

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -