Mais de 100 extremistas presos na França em protestos no Dia do Trabalho

De acordo com a polícia de Paris, 1.200 extremistas de esquerda se infiltraram nas manifestações pelo Dia do Trabalho, quebraram janelas e saquearam lojas.

Um total de 109 extremistas passaram a noite de terça-feira (02) presas em delegacias de Paris por participação nos distúrbios causados por grupos de radicais de esquerda que se infiltraram na manifestação do Dia do Trabalho.

A marcha havia sido convocada pelas centrais sindicais, em Paris, anunciou nesta quarta (2) a polícia local.

De acordo com informações da Veja:

Em entrevista ao canal France 2, o ministro do Interior, Gérard Collomb, explicou que os radicais, identificados como “blackbloc” eram “mais numerosos” do que o previsto. Eram esperados entre 500 e 600, mas apareceu o dobro “de toda Europa“. Segundo as autoridades, apareceram cerca de 1200 blackblocs.

Collomb se defendeu das críticas da oposição – tanto da esquerda como da direita – por não ter controlado esse risco, que já era conhecido. Disse que “não se pode impedir um certo número de pessoas, que chega como civil, de se misturar com a multidão e, de repente, se vestir como blackbloc”.

Para o ministro, as ações violentas foram “inadmissíveis” e anunciou que “para as próximas manifestações, haverá ainda mais forças da ordem para separar totalmente os manifestantes violentos”.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia