Manifestações públicas são ‘inerentes à democracia’, diz Fux

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Fux assumirá a presidência da Suprema Corte em setembro deste ano.

Luiz Fux, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), comentou, nesta quinta-feira (27), sobre a mensagem enviada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, a um grupo de amigos através do aplicativo WhatsApp.

O conteúdo da publicação é um vídeo com a convocação para o ato a favor do governo no dia 15 de março.

Durante um evento na American University, em Washington, nos Estados Unidos, Fux disse que, “se ocorrerem consequências”, o STF vai intervir:

“Meu presidente [Dias Toffoli] já se pronunciou, foi a palavra da Corte, e agora as consequências a gente não pode falar porque a gente certamente vai ter de intervir se ocorrerem consequências nesse plano. Qualquer tipo de questionamento que se fizer sobre isso no Supremo eu terei que dar minha palavra no momento do voto, e não antes. Se o Supremo for instado a julgar isso, eu não vou antecipar minha opinião.”

Ainda no evento, segundo O Antagonista, Fux também disse que manifestações públicas são “inerentes à democracia”:

“Se as instituições, com humildade necessária, verificarem que as críticas são procedentes, elas se adaptam. Se entenderem que as críticas são fruto de paixão passageira, não tem valor.”

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.