- PUBLICIDADE -

Médico demitido por defender que as pessoas nascem com gênero definido

- PUBLICIDADE -

Após 26 anos trabalhando como médico do Serviço Nacional de Saúde (espécie de SUS do Reino Unido), o médico David Mackereth foi dispensado por causa de suas convicções.

O doutor teria a oportunidade de assumir uma posição como assessor médico do Departamento de Trabalho e Pensões. Uma de suas funções seria entrevistar pessoas, mas teria de chama-las pelo “gênero de escolha”.

Logo, se um homem entrasse no seu consultório afirmando que era mulher, teria de ser tratado como “senhora”. Em toda a documentação assinada por ele o mesmo padrão precisaria ser seguido.

“Como cristão, acredito que o sexo é determinado tanto geneticamente quanto biologicamente”, explica o médico.

David Mackereth acrescentou:

Acabei sofrendo pressão e sabia que poderia pôr fim à minha carreira [no Estado], mas não poderia ficar bem comigo mesmo, se não mantivesse minha convicção. Isso seria mentir e eu não queria viver mentindo.

Mackereth, de 55 anos, acabou sendo considerado “inapto” para trabalhar no departamento.

‘Não conseguirei mais nenhum emprego público, as portas estão fechadas para mim’, lamenta.

O médico teme que outros profissionais cristãos também sejam descartados simplesmente por manterem opiniões conservadoras sobre os gêneros.

‘Eu não estou atacando o movimento de transgêneros, mas estou defendendo meu direito à liberdade de expressão e liberdade de crença’, destacou.

 

Com informações da Gospel Prime
PUBLICIDADE
- PUBLICIDADE -

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -