Português   English   Español

Medo de Doria faz líderes tucanos evitarem apoio explícito a Haddad

Medo de Doria faz líderes tucanos evitarem apoio explícito a Haddad

O presidenciável Fernando Haddad (PT) conversou nos últimos dias com alguns dos principais líderes do PSDB para tentar um apoio mais explícito à sua candidatura.

Em meio a uma disputa interna pelo controle do partido, os tucanos estão evitando declarações em favor do petista, disse à Reuters uma fonte que acompanhou os diálogos.

Fernando Haddad telefonou na segunda-feira (22) para o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para uma conversa sobre os “riscos para a democracia” causados pela candidatura de Jair Bolsonaro (PSL).

O petista revelou também que conversou com o senador Tasso Jereissati (CE), ex-presidente do partido. De acordo com a fonte, Haddad falou ainda com o ex-governador Geraldo Alckmin, atual presidente do partido e candidato tucano à Presidência derrotado no primeiro turno.

O candidato petista não conseguiu promessas de apoio explícito por questões internas tucanas.

Um apoio aberto ao PT enfraqueceria a posição desses tucanos de alto escalão na disputa pelo controle do partido e abriria espaço para um crescimento do candidato do PSDB ao governo de São Paulo, João Doria.

O temor no partido é que, se Doria vencer a eleição em São Paulo, o aliado de Bolsonaro se fortaleça o suficiente para escantear Alckmin da presidência do PSDB e levar a sigla ainda mais para a direita.

Nesta quarta, o ex-presidente do PSDB Alberto Goldman –inimigo declarado de Doria, e que foi alvo de uma tentativa do ex-prefeito de expulsá-lo do partido– declarou publicamente voto em Haddad, conforme noticiou a Renova Mídia.

Adaptado da fonte Reuters

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe seu comentário

Veja também...