Português   English   Español

Miliciano preso no Rio era vinculado ao Estado Islâmico

rio

Alvo de um dos 42 mandados de prisão na operação contra milicianos deflagrada nesta quinta-feira (2), Diego Caldeira de Andrada Chaar já tinha chamado a atenção da polícia meses antes, ao ser preso.

Aliado de Ecko, apontado como o chefe do maior grupo paramilitar do Rio de Janeiro, Diego ganhou dos colegas o apelido de Alcáida por ter se filiado ao Estado Islâmico. O nome é referência à Al-Qaeda, outro grupo terrorista.

Alcáida foi preso em maio deste ano. Ele é suspeito de fazer as extorsões contra comerciantes a mando do bando de Ecko, no que a polícia afirma ter se formado uma franquia.

O vínculo do miliciano com os extremistas islâmicos fez com que autoridades dos Estados Unidos, onde Alcáida morava com a mãe, o deportassem em 2015. Expulso da América, acabou parando no Brasil. A informação está em documentos da Polícia Civil.

 

Adaptado da fonte G1

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe seu comentário

Veja também...