Militares comunistas em Myanmar aterrorizam cristãos

Idiomas:

Português   English   Español
Militares comunistas em Myanmar aterrorizam cristãos
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Depois de fechar pelo menos 12 igrejas no início de setembro, forças paramilitares voltaram a atacar cristãos em Myanmar nos últimos dias.


Os soldados de Myanmar fecharam dezenas de igrejas, agredindo e prendendo 92 líderes cristãos e 42 estudantes. A ação é mais uma tentativa de restringir as atividades cristãs no país, disse a Convenção Batista local em um comunicado.

A população do país asiático é composta 80% por adeptos do budismo e menos de 10% por cristãos. Alguns grupos étnicos minoritários como os Kachin vem sendo mortos em um movimento classificado como genocídio.

Informações divulgadas pelo Morning Star nesta segunda (1), dão conta que o Exército Unificado do Estado de Wa (UWSA) está obrigando os estudantes presos a servirem como soldados para não morrerem.

Siga a RENOVA no TWITTER e acompanhe todas as notícias em tempo real.

As 52 igrejas da região de Mong Pauk foram fechadas este mês e os paramilitares destruíram pelo menos três templos, tendo removido todos os símbolos cristãos dos demais. Algumas escolas cristãs também foram fechadas.

Além disso, os soldados proibiram os cristãos na região leste do país de realizar cultos nas casas, explicou líder local que pediu anonimato. Por causa disso, muitos têm optado em ir para outras áreas do país, buscando segurança.

 

Adaptado da fonte Gospel Prime

Newsletter RENOVA

Receba gratuitamente as principais notícias do Brasil e do Mundo por email.

Curta e compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...