Português   English   Español

Militares na fronteira dos EUA é assunto de segurança nacional

Militares na fronteira dos EUA é assunto de segurança nacional
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

O Conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, John Bolton, justificou nesta quinta-feira (1º) a mobilização de 15 mil militares na fronteira com o México.


Em entrevista, John Bolton afirmou que os imigrantes ilegas que chegam em caravanas devem encarar o assunto com “seriedade”.

O membro da Casa Branca disse que é “inaceitável” entrar nos Estados Unidos em caravanas, como as que se aproximam com milhares de imigrantes ilegais, a maioria de Honduras.

Ao pontuar que a ameaça através da fronteira “é um problema de segurança nacional”, Bolton afirmou:

Acho que há muitas oportunidades (de negociar com os países centro-americanos), mas as pessoas têm que levar a sério. Simplesmente, essa não é uma forma aceitável de entrar nos Estados Unidos.

E destacou:

Não é simplesmente imigração ilegal, é tráfico de pessoas, tráfico de drogas, são potenciais terroristas entrando, assim como armas de destruição em massa, é uma questão de soberania. Portanto, há muitos assuntos muito importantes em jogo.

Para o Conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, trata-se de um problema que o governo de Donald Trump herdou e tenta resolver com a parte mexicana, com a qual teve “bons tratos”.

O conselheiro declarou que a caravana é, em “muitos aspectos, organizada pela oposição em Honduras e por outros que estão tentando politizá-la”. “A caravana é uma boa evidência de que as pessoas do outro lado da fronteira estão politizadas”, analisou.

 

Adaptado da fonte EFE

Curta e compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...