Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Militares que receberam coronavoucher indevidamente terão que devolver

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Militares que receberam coronavoucher indevidamente terão que devolver

O benefício foi criado pelo governo Bolsonaro durante a pandemia do novo coronavírus.

O Ministério da Cidadania informou que os militares que receberam o auxílio emergencial do governo indevidamente terão de devolver os recursos aos cofres públicos.

Em nota à imprensa nesta terça-feira (12), a pasta disse que parentes de militares que se enquadram nos critérios não precisarão fazer o ressarcimento.

De acordo com a regra do auxílio emergencial, pessoas com renda mensal de até R$ 552,50, ou com renda familiar total de até R$ 3.135 podem receber o coronavoucher.

“O Ministério da Cidadania informa que agora já dispõe da atualização dos CPFs. Aqueles que receberam o auxílio emergencial, sem que se enquadrem nos critérios legais de concessão, devolverão os recursos aos cofres públicos por meio da Guia de Recolhimento da União (GRU)”, diz a nota.

O Ministério do governo Jair Bolsonaro destacou que há familiares de militares que receberam o auxílio “por se enquadrarem nos critérios legais, mesmo considerando a renda familiar militar, e não existe nenhuma norma que impeça este recebimento”.

Na noite de ontem, o Ministério da Defesa confirmou que 73.242 militares das Forças Armadas, incluindo ativos, inativos, de carreira e temporários, pensionistas, dependentes e anistiados receberam indevidamente o auxílio emergencial.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Comentários

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Outras Notícias