Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Militares que receberam coronavoucher indevidamente terão que devolver

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Militares que receberam coronavoucher indevidamente terão que devolver
COMPARTILHE

O benefício foi criado pelo governo Bolsonaro durante a pandemia do novo coronavírus.

O Ministério da Cidadania informou que os militares que receberam o auxílio emergencial do governo indevidamente terão de devolver os recursos aos cofres públicos.

Em nota à imprensa nesta terça-feira (12), a pasta disse que parentes de militares que se enquadram nos critérios não precisarão fazer o ressarcimento.

De acordo com a regra do auxílio emergencial, pessoas com renda mensal de até R$ 552,50, ou com renda familiar total de até R$ 3.135 podem receber o coronavoucher.

“O Ministério da Cidadania informa que agora já dispõe da atualização dos CPFs. Aqueles que receberam o auxílio emergencial, sem que se enquadrem nos critérios legais de concessão, devolverão os recursos aos cofres públicos por meio da Guia de Recolhimento da União (GRU)”, diz a nota.

O Ministério do governo Jair Bolsonaro destacou que há familiares de militares que receberam o auxílio “por se enquadrarem nos critérios legais, mesmo considerando a renda familiar militar, e não existe nenhuma norma que impeça este recebimento”.

Na noite de ontem, o Ministério da Defesa confirmou que 73.242 militares das Forças Armadas, incluindo ativos, inativos, de carreira e temporários, pensionistas, dependentes e anistiados receberam indevidamente o auxílio emergencial.

- PUBLICIDADE -
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram