Ministro de Energia de Israel manda União Europeia “para o inferno”

O ministro de Energia israelense, Yuval Steinitz, disse nesta quarta-feira (23) que a União Europeia (UE) “pode ir para o inferno” por solicitar uma investigação da suposta brutalidade policial contra manifestações.

A União Europeia condenou na terça-feira (22) a violência da polícia em uma manifestação na cidade nortista de Haifa para protestar contra o excessivo uso da violência de Israel nos protestos na fronteira com Gaza das últimas semanas, e sugeriu ao Governo israelense que investigue o ocorrido.

Steinitz garantiu em uma rádio local que pouca lhe importam as recomendações da “hipócrita” UE, que “está protegendo o Irã e o ajudará contra as sanções americanas”.

De acordo com informações da Agência Brasil:

Semanas antes, em 9 de maio, Dia da Europa, o ministro elogiou os laços que unem o seu país à UE na residência do embaixador europeu em Israel, de acordo com o jornal “Haaretz”.

Mas hoje Steinitz se queixou que a UE “acossa” Israel enquanto o Irã “executa, tortura homossexuais, viola os direitos das mulheres, apoia o terrorismo de (Bashar al) Assad, que lança armas químicas em sua gente”, informou ao mesmo jornal.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia