Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch
Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch

Ministro do STF critica fundo anticorrupção da Lava Jato

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Ministro do STF critica fundo anticorrupção da Lava Jato

Marco Aurélio Mello considera um absurdo a destinação de R$ 2,5 bilhões para uma fundação gerida pela Lava Jato para promover políticas de combate à corrupção.

Depositado em janeiro, o dinheiro é fruto de um acordo entre autoridades dos Estados Unidos, da Petrobras e a equipe de procuradores da Operação Lava Jato.

Os R$ 2,5 bilhões representam 80% do capital que a estatal do Brasil teria que devolver aos cofres norte-americanos por conta das irregularidades detectadas na Lava Jato.

Segundo o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, tal destinação, além de ilegal, cria um super órgão e inviabiliza o controle fiscal de suas contas.

Em entrevista ao UOL, Marco Aurélio afirmou:

“Como de há muito venho sustentando na bancada do Supremo, órgão público vive apenas do que previsto no orçamento aprovado pelo legislativo. A mesclagem do público com o privado não interessa ao Estado, não interessa à sociedade. É pernicioso fazendo surgir ‘super órgãos’, inviabilizando o controle fiscal financeiro. É a perda de parâmetros, é o descontrole, é a bagunça administrativa. É a Babel.”

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email