Ministro é contra enviar Exército ao julgamento de Lula

Português   English   Español
CAMPINAS, SP, 01.06.2017: EXÉRCITO-HAITI - 250 militares das Forças Armadas embarcam para missão de paz no Haiti, nesta quinta-feira (1º), no Aeroporto Internacional de Viracopos em Campinas (SP). Esta é a última tropa enviada para a Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah). Na foto, o ministro da Defesa, Raul Jungmann. (Foto: Jorge Araújo/Folhapress)
TARCISO MORAIS
TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou que não vê necessidade no uso do Exército em Porto Alegre para auxiliar na segurança durante o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, marcado para o dia 24 de janeiro.

A resposta foi dada após o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), pedir proteção das Forças Armadas para “garantir a segurança da população e a preservação do patrimônio público” no dia do julgamento de Lula.

Jungmann disse que a Política Militar do Rio Grande do Sul é muito competente e experiente. Além disso, o ministro disse que cabe ao governador e não a um prefeito pedir a ajuda da Força Nacional, conforme determina a Constituição:

Pessoalmente, não vejo necessidade para o emprego das Forças Armadas em Porto Alegre. Um prefeito não pode pedir o emprego das Forças Armadas, só o governador. E a Brigada gaúcha é experiente para lidar com isso — disse Jungmann.

 

Com informações de: (1)

 

SIGA A RENOVA

Compartilhe...

Share on whatsapp
Share on google
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email

Deixe seu comentário...

Veja também...